WhatsApp
(65) 3615-5221
Menu

Nossos Serviços

Corpo Clínico

Guia Paciente

Convênios

Radioterapia

Ouvidoria

Onde Estamos

Dicas do Especialista

Câncer de Mama: Novos Caminhos para Recomeçar

 
Oncomed integra acompanhamento de fisioterapia oncológica
em mastologia às pacientes de câncer de mama
 

Fisioterapia especializada garante bem-estar e qualidade de vida às pacientes que passaram por mastectomia. As indicações para assistência fisioterapêutica são determinadas pelas disfunções causadas pela doença e pelos tratamentos adotados, como quimioterapia e radioterapia.

Estima-se que hoje, no Brasil, a cada 40 minutos uma mulher é submetida à mastectomia – retirada parcial ou até mesmo total das mamas. Este procedimento é essencial e imprescindível para o tratamento das neoplasias mamárias, porém, o procedimento cirúrgico gera na mulher um turbilhão de sentimentos, podendo ocasionar sequelas físicas e psicológicas capazes de comprometer a reabilitação desta paciente.

Além do impacto emocional, é comum que se haja complicações desde o período pós cirúrgico pela complexidade do ato operatório, sendo assim, a fisioterapia entra como opção terapêutica de extremo valor.

Dentre as possíveis complicações, a falta de mobilidade do braço no lado em que o seio foi operado, juntamente com a retirada dos linfonodos que causam na paciente o comprometimento das funções linfáticas, podendo até, acarretar quadros de linfedema, que consiste no acúmulo de fluído corporal (linfa) nos tecidos moles do corpo, no caso, no membro superior da mama operada.
 
 A IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO ESPECIALIZADO

O fisioterapeuta especialista atua nos 4 pilares da esfera oncológica: promoção, rastreamento, tratamento e cuidados paliativos. Laura Alves, fisioterapeuta que atua na área de oncológica é especializada em drenagem, ressalta a importância da terapia integrada e precocemente iniciada “o tratamento é capaz de restaurar e conservar a saúde física da paciente, garantindo a qualidade de vida no pós-operatório destas mulheres”.
           
O tratamento fisioterapêutico geralmente é iniciado partir de 48 horas após a cirurgia – dependendo do quadro clinico é aconselhado que se inicie antes mesmo do processo cirúrgico - e tem como objetivos controlar, prevenir e tratar quadros de linfedema e alterações posturais, promover o relaxamento muscular, manter a amplitude de movimento do membro superior, melhorar o aspecto e maleabilidade da cicatriz, prevenindo ou tratando as aderências.  

Fazem parte do tratamento técnicas de drenagem linfática, terapia física complexa, exercícios físicos e de alongamentos, eletroterapia, terapia manual, exercícios respiratórios e de relaxamento, técnicas para analgesia. E é importante que o procedimento deve ser executado por um profissional habilitado.
 
 DICAS DA ESPECIALISTA
            Para evitar as complicações relacionadas à retirada dos linfonodos é importante seguir algumas recomendações a curto e longo prazo, como lista a fisioterapeuta oncológica Laura Alves, como por exemplo:
- Não carregar peso superior a 3 kg no braço do lado operado;
- Não tomar injeções ou até mesmo aferir pressão arterial neste braço;
- Não tirar cutícula;
- Evitar atividades que possam provocar cortes ou perfurações no braço que está em período pós-operatório.
           
Laura Alves é fisioterapeuta desde 2009 e possui especialização em fisioterapia dermato-funcional pela Faculdade São Marcos em São Paulo e em Drenagem Linfática pela Ecole Drainage Lymphatique Leduc de Bruxelas, Bélgica. Atualmente trabalha como fisioterapeuta oncológica com recuperação de pacientes, na Oncomed, em Cuiabá.
 
 

 
(65) 3615-5221
e-box - Sitevip InternetSitevip Internet